Rafeiros? Rafeiros Somos Todos!


Animais como nós

Animais como nós

2008-11-10

Houve algumas boas e humanistas almas que se escandalizaram (as boas almas, principalmente as "humanistas", escandalizam-se amiúde com valores que vão um pouco além das fronteiras da sua bondade) com o facto de Obama ter dedicado parte da primeira conferência de imprensa depois de eleito ao cão prometido às filhas.

Podem, porém, sossegar essas boas almas, porque parece que Obama não é indiferente à sua (e delas, boas almas) espécie; talvez só aconteça que as fronteiras do seu humanismo sejam um pouco mais largas que as da humanista Sarah Palin, para quem um barril de petróleo vale bem a extinção dos ursos polares: " O modo como tratamos os animais - afirmou Obama - reflecte o modo como tratamos as pessoas; [também por isso] é muito importante que um presidente se preocupe com a crueldade contra os animais". A recusa de Obama em patrocinar o comércio de "raças puras" do AKC, escolhendo adoptar um animal abandonado ("a mutt, like me", isto é, "um rafeiro, como eu", explicou) tem uma força simbólica que escapa aos "humanistas", que preferiam que ele tivesse falado apenas de índices bolsistas.

Artigo retirado do Jornal de Notícias On-line


Chamar rafeiro a alguém seria, sem dúvida, ofensivo. Sendo o próprio a dizer de si mesmo é uma "bofetada de luva branca" na face daqueles que, para além do assunto canino, fazem questão de meter as pessoas em categorias. Mas afinal que somos nós senão rafeiros, fruto de misturas que nem sabemos? Afinal o que é ser branco? E branco claro? E branco escuro? E amarelo? e...

Estou a trabalhar em part-time num centro de estudos onde acompanho na área da matemática crianças do 5º ao 9º ano. Hoje chateei-me como nunca. Acho que os miúdos nunca me tinham visto tão chateada... mesmo quando são mal-educados ou mal comportados. Estava eu muito bem a tirar dúvidas e inventar exercícios quando uma menina negra de 10 anos veio falar comigo com a lágrima quase a cair dos olhos porque pela segunda vez um menino de 11 anos tinha-lhe feito comentários extremamente ofensivos. Não vou repetir o que este disse porque não quero, mas, escusado será dizer que fui logo falar com o miúdo em questão. Normalmente os miúdos negam ou dizem que o outro fez algo antes... mas este rapaz admitiu logo o que fez e perguntou qual era o mal. Tentei explicar-lhe que a tinha ofendido, que somos todos iguais etc... etc... A resposta dele foi simplesmente mais ofensas, ideias feitas, coisas que ouvidas da boca de um adulto já arrepiam. Pedi-lhe para ir pedir imediatamente desculpa à menina e ele respondeu-me que se recusava a ir. Passei-me completamente, disse que ia pedir desculpa nem que eu o arrastasse e que se não fosse ia ficar de castigo até ao fim do ano! Acho que o miúdo se assustou, mas, ainda assim, quando chegou ao pé dela tive de lhe pedir que dissesse desculpa umas dez vezes, porque as nove primeiras ou fazia figas, ou olhava para o ar, ou dizia de forma pouco séria.

Quando finalmente saí do trabalho vinha triste. Os miúdos às vezes têm muitos defeitos mas ouvir o que ouvi da boca de um pequeno miúdo de 11 anos feriu-me mais do que ouvir de um aldulto... porquê? Bem, talvez porque no fundo sabia que, provavelmente, por trás, devem estar dois papás igualmente racistas. Infelizmente, continua a ver-se sempre de tudo mesmo que já estejamos no século XXI.


3 comentários:

Paradoxos disse...

venho deixar-te meu beijo meu carinho
estimada amiga!


- aproveitei pra ler mais abaixo o que perdi... e gostei-te!! :-)


continua a cantar - sempre!!!


Eduardo

JOICE WORM disse...

Mas geralmente os filhos são mesmo reflexos dos pais, C3.
Por isso, acho que deveria ter Escolas especiais para "pais" de filhos especias.
É uma pena, amiga. Mas episódios destes, vai custar a desaparecer da face da Terra. Pode ser que com o sucesso espiritual do Obama os pensamentos e atitudes comecem a mudar... Pode ser.

Pessoa disse...

Contar o que o miúdo disse só ajudava a perceber melhor o quão retrogadas são certos pais, mas a escolha é tua!
As coisas vão mudando aos poucos, só temos de acreditar na mudança, e lutar por ela, e tu fizeste a tua parte ;)

Espíritos Leitores

Sons