Não Tenho Pressa.


Não tenho pressa: não a têm o sol e a lua.
Ninguém anda mais depressa do que as pernas que tem.
Se onde quero estar é longe, não estou lá num momento.

Sim: existo dentro do meu corpo.
Não trago o sol nem a lua na algibeira.
Não quero conquistar mundos porque dormi mal,
Nem almoçar o mundo por causa do estômago.
Indiferente?
Não: filho da terra, que se der um salto, está em falso,
Um momento no ar que não é para nós,
E só contente quando os pés lhe batem outra vez na terra,
Traz! na realidade que não falta!

Não tenho pressa. Pressa de quê?
Não têm pressa o sol e a lua: estão certos.
Ter pressa é crer que a gente passe adiante das pernas,
Ou que, dando um pulo, salte por cima da sombra.
Não; não tenho pressa.
Se estendo o braço, chego exactamente aonde o meu braço chega
Nem um centímetro mais longe.
Toco só aonde toco, não aonde penso.
Só me posso sentar aonde estou.
E isto faz rir como todas as verdades absolutamente verdadeiras,
Mas o que faz rir a valer é que nós pensamos sempre noutra coisa,
E somos vadios do nosso corpo.
E estamos sempre fora dele porque estamos aqui.

(Alberto Caeiro)

Imagem retirada do site Olhares.com

3 comentários:

Sininho disse...

Pressa, para quê?
Alberto Caeiro fenomenalmente em si =D

Gostei uma imensidão!

Um Doce Beijo de uma boa semana*

Antonio saramago disse...

As pressas dão quase sempre em atrasos.

amordemadrugada disse...

Olá meu anjo!
espero que estejas bem!
Pois ...o Alberto Caeiro...e as suas contradições! (eu acho)
Ele que não quer pensar com o pensamento...
OH! aS VEZES EU GOSTAVA DE SER COMO ELE!
Embora ache que ele se contradiz
Deixo um beijito em teu coração...sem pressas

Espíritos Leitores

Sons