A Tempestade (William Shakespeare)

Ontem tive o privilégio (sim, o privilégio!) de ir ver esta peça que está em cena na Quinta da Regaleira em Sintra. O cenário, à partida, já promete e os actores acabam por suplantar as nossas expectativas. Adorei a peça e achei a encenação muito boa.Os meus parabéns aos actores do Teatro Tapafuros.

A má notícia... é que sai de cena já hoje... mas, se puderem ir hoje à última apresentação às 21:00h, não percam a oportunidade!! Podem comprar lá o bilhete e acreditem que vale bem a pena!!


"A tempestade é uma história de vingança, é uma história de amor, é uma história de conspirações oportunistas, e é uma história que contrapõe a figura disforme, selvagem, pesada dos instintos animais que habitam o homem à figura etérea, incorpórea, espiritualizada de altas aspirações humanas, como o desejo de liberdade e a lealdade grata e servil. Uma Ilha é habitada por Próspero, Duque de Milão, mago de amplos poderes, e sua filha Miranda, que para lá foram levados à força, num acto de traição política. Próspero tem a seu serviço Caliban, um escravo em terra, homem adulto e disforme, e Ariel, o espírito servil e assexuado que pode se metamorfosear em ar, água ou fogo. Os poderes eruditos e mágicos de Próspero e Ariel combinam-se e, depois de criar um naufrágio, Próspero coloca na Ilha seus desafectos (no intuito de levá-los à insanidade mental) e um príncipe, noivo em potencial para a filha. Se o amor acontece entre os dois jovens, se a vingança de Próspero é bem-sucedida, se Caliban modifica-se quando conhece os poderes inebriantes do vinho numa cena cómica com outros dois bêbados, tudo isso Shakespeare nos revela no enredo desta que por muitos é considerada sua obra-prima – uma história de dor e reconciliação."

(Informação tirada da Wikipédia)

"We are such stuff as dreams are made on." ("Somos da mesma substância que os sonhos.")

0 comentários:

Espíritos Leitores

Sons