Try to Fix Me

When you try your best, but you don't succeed,
When you get what you want, but not what you need,
When you feel so tired, but you can't sleep
Stuck in reverse

And the tears come streaming down your face
When you lose something you can't replace
When you love someone, but it goes to waste
Could it be worse?

Lights will guide you home
And ignite your bones
And I will try, to fix you

And high up above or down below
When you're too in love to let it go
But if you never try, you'll never know
Just what you're worth.

Lights will guide you home
And ignite your bones
And I will try, to fix you.

Tears stream down your face,
When you lose something you cannot replace
Tears stream down your face
And I... [2x]

Tears stream down your face
I promise you I will learn from my mistakes
Tears stream down your face
And I...

Lights will guide you home
And ignite your bones
I will try to fix you...
 

Parabéns John Lennon

No dia em que faria 70 anos aqui fica um Top 30.


Dia Europeu da Depressão

Esta doença é responsável por 1200 mortes por ano em Portugal e muito mais incapacitante e difícil de diagnosticar/curar do que possam imaginar (eu que o diga!).


Se tiverem curiosidade visitem este site: A Depressão Dói




É uma das doenças psiquiátricas mais frequentes na nossa sociedade, estimando‐se que uma em cada 
quatro pessoas tenha sofrido ou vá sofrer de depressão durante a vida. A prevalência da depressão é de 
aproximadamente 10 a 20% nas mulheres e um pouco inferior nos homens. 
 
Causa de grande sofrimento para o doente e para os que o rodeiam – sendo prejudicial na vida profissional, 
familiar e social – a depressão é uma situação clínica que não pode passar sem tratamento adequado, sob o 
risco de se tornar crónica.

O diagnóstico da depressão é clínico. Actualmente, não existem exames laboratoriais ou imagiológicos que 
possam substituir a observação do médico. Na elaboração do diagnóstico, o especialista deve ter em conta 
toda uma série de sinais (observáveis) e sintomas (descritos pelo doente).
  
Um doente está deprimido quando apresenta, pelo menos, cinco sintomas característicos, sendo que um 
deles tem que ser o humor depressivo ou a perda de interesse e prazer nas actividades quotidianas. Estes 
sintomas têm que se manifestar durante um período de, pelo menos, 15 dias. Face a este cenário, diz‐se então que a pessoa tem um episódio depressivo e deve ser tratada. 
  
Um indivíduo pode ter apenas um episódio depressivo ao longo da sua vida ou ter vários. Quanto mais 
episódios teve no passado, maior é a probabilidade de vir a recair, isto é, de ter um novo episódio 
depressivo. Existem inúmeras razões para o desencadear de um episódio: genéticas, biológicas, 
medicamentosas ou por factores externos.
  
Para tratar a depressão e evitar recaídas é fundamental o doente seguir o tratamento durante o tempo 
adequado e conforme recomendado pelo médico.

Rotina do Sono

Verão 2010! Inter Rail!

 Como alguns sabem, vou fazer um novo Inter Rail este ano. Parto amanhã de avião para Copenhaga e só volto no dia 5 de Setembro. Se quiserem acompanhar a viagem (minha e do Pedro) terei um site onde irei pondo pelo menos uma foto de cada sítio e, quando, voltar, porei mais. O site é:

www.rail-2010.blogspot.com

Desta vez a... viagem será de 22-25 dias e completará um pouco a viagem de 1 mês feita em 2006 (www.rail-2006.blogspot.com). Espero, para o ano, ainda vir a fazer uns 15 dias de inter rail para completar os Países baixos, o Reino Unido, a Irlanda... enfim, por agora, espero que visitem o site, que gostem e que comentem! Beijos a todos e até Setembro!

O Poder da Humanidade

Seremos Mesmo Carnívoros?

Adeus António Feio

Primeiro episódio da "Conversa da Treta" - Partes 1 e 2






Fim das Touradas na Catalunha!

OLÉ! Agora só falta Portugal seguir o exemplo e acabar com o "espectáculo" (aka tortura).

Catalunha repudia “fiesta nacional” e proíbe touradas - Mundo - PUBLICO.PT


Parlamento da Catalunha decidiu proibir as touradas a partir de Janeiro de 2012. Por 68 votos a favor, 55 contra e nove abstenções os deputados catalães aboliram as corridas de touros, culminando um processo iniciado em 11 de Novembro de 2008 quando o hemiciclo regional autorizou a tramitação de uma Iniciativa Legislativa Popular sustentada num abaixo-assinado com 180 mil assinaturas.

Esta é a primeira vez que uma região da Espanha continental proíbe touradas


O“Os problemas da Catalunha já acabaram”, ironizavam no final da votação os defensores das touradas. “Continuaremos às portas das praças de touros porque a proibição só entra em vigor em 2012 e até que seja anulado todo e qualquer mau trato aos animais a Catalunha não será Europa”, anunciavam, por seu lado, os defensores da proibição. Para estes, terminavam quase dois anos de contestação às corridas de touros, depois de, em Abril de 2004, a Câmara de Barcelona ter aprovado uma recomendação pedindo o fim das touradas.

No entanto, para os triunfadores a vitória é parcial. A plataforma Prou! ganhou a proibição das touradas mas teve de admitir excepções específicas: as correbous e os bous embolats, largadas de touros muito populares na Catalunha, mantêm-se no calendário dos festejos.

Entre os parlamentares que votaram a favor da abolição está a grande maioria dos deputados nacionalistas, à excepção de sete eleitos da Convergência e União que se manifestaram contra e seis que se abstiveram. Também três parlamentares socialistas se juntaram aos abolicionistas, enquanto outros três se abstiveram.

Os votos contrários vieram da totalidade dos grupos do Partido Popular (PP), da plataforma Ciudadans e de 31 dos 37 deputados do Partido dos Socialistas da Catalunha.

Entre eles, José Montilla, presidente da Generalitat, o Governo regional catalão: “Votei contra porque acredito na liberdade, preferia que não tivesse sido uma imposição legal, pois a continuidade dos touros devia ser uma decisão tranquila dos cidadãos”, afirmou Montilla.
Defensores vão recorrer
Apesar da votação, nem tudo está decidido. Os defensores das corridas de touros anunciaram que vão interpor um recurso junto do Tribunal Constitucional.

Por outro lado, o PP já tem em agenda, para Setembro, a apresentação de moções nas Cortes espanholas – Parlamento e Senado – nas quais solicita ao Governo socialista de Rodríguez Zapatero que inicie os trâmites para que as corridas de touros sejam reconhecidas pela UNESCO como Património Cultural Imaterial da Humanidade. E daí, promover a sua manutenção e, portanto, anular as consequências da votação do Parlamento da Catalunha.

“Não se podem contrapor questões de identidade à liberdade dos cidadãos”, considerou Mariano Rajoy. O líder dos “populares” espanhóis referia-se ao facto de a proibição das touradas aparecer num contexto que pretende singularizar a Catalunha da prática da denominada “fiesta nacional”, como são apelidadas as corridas de touros em Espanha.


Façam Favor de Serem Felizes!

O autor deste texto é João Pereira Coutinho, jornalista.

' Não tenho filhos e tremo só de pensar. Os exemplos que vejo em volta 
não aconselham temeridades. Hordas de amigos constituem as respectivas 
proles e, apesar da benesse, não levam vidas descansadas. Pelo 
contrário: estão invariavelmente mergulhados numa angústia e numa 
ansiedade de contornos particularmente patológicos. Percebo porquê. Há 
cem ou duzentos anos, a vida dependia do berço, da posição social e da 
fortuna familiar. Hoje, não. A criança nasce, não numa família mas 
numa pista de atletismo, com as barreiras da praxe: jardim-escola aos 
três, natação aos quatro, lições de piano aos cinco, escola aos seis, 
e um exército de professores, explicadores, educadores e psicólogos, 
como se a criança fosse um potro de competição. Eis a ideologia 
criminosa que se instalou definitivamente nas sociedades  modernas: a 
vida não é para ser vivida - mas construída com sucessos pessoais e 
profissionais, uns atrás dos outros, em progressão geométrica para o 
infinito. É preciso o emprego de sonho, a casa de sonho, o sonho, os 
restaurantes de sonho. Não admira que, até 2020, um terço da população 
mundial esteja a mamar forte no Prozac.



É a velha história da cenoura e do burro: quanto mais temos, mais 
queremos. Quanto mais queremos, mais desesperamos. A meritocracia gera 
uma insatisfação insaciável que acabará por arrasar o mais leve traço 
de humanidade. O que não deixa de ser uma lástima. Se as pessoas 
voltassem a ler os clássicos, sobretudo Montaigne, saberiam que o fim 
último da vida não é a excelência, mas sim a felicidade!



É caso para dizer: " façam favor de serem felizes"

Motivação (em Inglês)

Adeus Saramago

 

"Perguntou-se a José Saramago:
– Como podem homens sem Deus serem bons?
Sua resposta foi:
– Como podem homens com Deus serem tão maus?"
 

Mundial 2010

Visto que começou o mundial deixo aqui este excelente anúncio da nike. Adoro a  parte do Ronal-Doh!
Write the future. Enjoy.

Rock in Rio 2010! MUSE! OhYeah!














Casamento Homossexual e Religião

No dia em que, finalmente, foi  promulgada a lei que permite o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo, não resisti a partilhar uma das muitas razões pelas quais não tenho religião. (Ou,  no mínimo, não me identifico com nenhuma).

RELIGIÕES

Só o budismo aprova casamento homossexual

por RITA CARVALHO









A união civil entre pessoas do mesmo sexo é contestada pelos líderes das principais confissões religiosas em Portugal. Aos católicos juntam-se muçulmanos, judeus, hindus e evangélicos que vêem na união entre homossexuais uma alteração do conceito de família. A excepção são os seguidores do budismo
Católicos, muçulmanos, judeus, evangélicos e hindus encaram com desagrado a intenção política de alterar os contornos jurídicos do casamento, alargando-o aos homossexuais. A excepção são os budistas que defendem essa opção se ela "tornar alguém mais feliz" .
A posição do presidente da União Budista Nacional, Paulo Borges, contrasta com a dos diferentes líderes religiosos ouvidos pelo DN. " De acordo com os princípios do budismo de pretender libertar a mente de tudo o que faz sofrer, nessa perspectiva, se o casamento entre pessoas do mesmo sexo contribuir para tornar alguém mais feliz então somos a favor", afirma. O presidente desta confissão em Portugal diz que embora exista uma posição dos budistas tibetanos, que refere que a relação sexual entre pessoas do mesmo sexo não é aconselhada para uma evolução espiritual, a questão não é moral: "é apenas quanto à progressão espiritual, ao nível energético".
Para a maioria das confissões, o casamento é um compromisso duradouro entre duas pessoas de sexo diferente, destinado a constituir família e um projecto de vida. Na base desta posição, garantem, não está uma atitude homofóbica. Apenas a preocupação com o impacto social negativo que, acreditam, decorrerá da alteração do conceito de família.
"Esta alteração afectará a visão que a sociedade tem do casamento. É óbvio que os movimentos políticos influenciam a cultura e a percepção da sociedade", afirmou ao DN o rabino Elizer Shi di Marino. Por isso, defende o líder religioso da comunidade judaica, "somos contra". Os judeus consideram que não têm que impor a sua opinião nem a sua fé, nem vão tomar posição. Mas dada a sensibilidade do tema, diz o rabino, seria desejável um debate alargado, que pode passar pela consulta popular
Os textos bíblicos em que se baseia o judaísmo vêem a homossexualidade como acto proibido, esclarece o rabino. "As pessoas que praticam essa tendência, acabam por se auto-excluir da comunidade", diz, referindo os aspectos religiosos. "Mas num mundo livre, cada um tem liberdade de praticar a sua sexualidade. Mas não deve afectar a célula familiar nem modificar brutalmente os conceitos de família."
O Islão defende a família, esclarece o xeque Munir, líder da comunidade islâmica. "Mas como a sociedade já não é o que era, as pessoas dão prioridade a outros valores. E é óbvio que o Islão proíbe os casamentos entre pessoas do mesmo sexo", acrescenta. Na discussão em curso, não se envolvem.
Já Fernando Soares Loja, da Aliança Evangélica, assume uma posição firme a favor do debate público, integrando até a lista de mandatários da Plataforma Cidadania e Casamento, que há dias pôs a circular uma petição para o referendo. "À luz da doutrina cristã, esta proposta é contrária à vontade do criador", explica, acrescentando que, quem é homossexual, deve "abster-se de praticar a homossexualidade".
Na admissão às comunidades evangélicas, este é um aspecto escrutinado, reconhece, equiparando o "impulso homossexual" a outros que, na sua opinião, devem se disciplinados, como "o de ter várias mulheres".
As propostas políticas em cima da mesa não fazem qualquer sentido para os evangélicos. "Não podemos concordar com nenhum regime jurídico que homologue a homossexualidade. Se alteramos este regime, já agora, porque não respeitamos os polígamos, se há pessoas que têm mais do que uma mulher", questiona. Para Fernando Soares Loja, que também é advogado, "os defensores desta proposta estão a mentir quando dizem que não está em causa a adopção e apenas o casamento. É a mesma face da moeda".
Dentro dos cristãos, os católicos já condenaram as intenções legislativas e a sua posição é bem conhecida. Ao DN, o porta voz da Conferência Episcopal sublinhou que legalizar as uniões homossexuais, dando-lhes o estatuto de casamento, constitui "uma alteração grave das bases antropológicas da família e, com ela, da própria sociedade." Apesar de simpatizarem com a ideia de uma consulta popular, os bispos não se vão mobilizar.
A posição crítica dos cristãos contrasta com a dos hindus, que recusam condenar ou julgar qualquer comportamento. "O hinduísmo não tem regras obrigatórias. E, normalmente, não nos pronunciamos sobre o que não está previsto nas escrituras hindus", afirmou Ashok Hansraj, relações públicas da comunidade hindu. Tratando-se de uma questão pessoal, não há orientações religiosas. Por isso, diz, "se aparecesse um casal homossexual não incentivávamos nem desaconselhávamos", diz Ashok, sublinhando que a sua opinião não vincula a comunidade.
Para os hindus, a família convencional inclui um casal com homem e mulher e tem o objectivo de procriar. "Gostaríamos que este tipo de situações, fora do matrimónio convencional, não existissem. E em nome da liberdade individual não se pode condenar o colectivo. Mas não vamos apoiar, nem sugerir. Muito menos, condenar." Sobre o referendo, Ashok Hanraj tem uma opinião muito pessoal. Apesar de considerar necessário o debate, diz que as pessoas vão evoluindo e o referendo marca "apenas uma posição num determinado momento" .
retirado do site do DN

Maybe I´m Amazed

Chamem-me lamechas... (não me importo!) gosto das músicas do Paul McCartney e esta, claro, vai a pensar no meu "mais-que-tudo". Hoje estou em modo lamechas; dá-me de vez em quando, talvez seja por hoje fazer 4 anos e 6 meses que estamos juntos, ou por outra razão que desconheço... a verdade é que não há nada a fazer. Amo-te. Obrigada.

Maybe I'm amazed at the way you love me all the time
Maybe I'm afraid of the way I love you
Maybe I'm amazed at the way you pulled me out of time
And hung me on a line
Maybe I'm amazed at the way I really need you

CHORUS:
Maybe I'm a man and maybe I'm a lonely man
Who's in the middle of something
That he doesn't really understand
Maybe I'm a man and maybe you're the only woman
Who could ever help me
Baby won't you help me understand

CHORUS

Maybe I'm amazed at the way you're with me all the time
Maybe I'm afraid of the way I leave you
Maybe I'm amazed at the way you help me sing my song
You right me when I'm wrong
Maybe I'm amazed at the way I really need you

CHORUS



80ª Feira do Livro


Aberta desde dia 29 de Abril até ao dia 16 de Maio. Juntem-se ao melhor vício de sempre. =P Este ano aberta à hora do almoço e com direito a happy hour e tudo!

25 de Abril

É tanta a ignorância que até dói! Enfim, Viva o 25 de Abril, para quem sabe o que realmente significa... tenha ou não (meu caso) vivido nessa altura.

Risky Business Dance

Revi isto ontem à noite na tvcine.... Aaaah... Como eu adoro esta cena!!!! Nunca fui a mesma depois de ver isto em adolescente! "Old Time Rock an Roll!" Yeah!




P.S.: Eu nem acho o filme grande coisa (ou o Tom Cruise btw) mas esta cena tem qualquer coisa... =P

Paredes de Vidro

Na cerimónia dos Golden Globe Awards (17/01), Paul McCartney distribuiu aos participantes da festa, cópias do vídeo Glass Walls (Paredes de Vidro) produzido pelo Peta. No vídeo, Paul revela os horrores da exploração de animais pela indústria da carne também conhecida como indústria da morte. Foi a ver um video assim que decidi cortar, finalmente, com toda a carne e ser vegetariana. 





O video está na categoria de maiores de 18 no YouTube, por isso aviso já que é violento. 
Acho que qualquer pessoa pode imaginar a violência do video... quando vejo videos destes lembro-me sempre de um verão da minha infância, passado na aldeia, em que um vizinho estava a fazer "a matança" do porco para a festa que aí vinha. A minha mãe teve o bom senso de me proibir de ver a cena apesar da minha curiosidade de criança. Disse-me para ficar no nosso quintal e não sair de lá pois não era algo que eu deveria ver. Ela tinha razão... compreendi logo depois... era muito inocente pois quando comecei a ouvir os guinchos do porco nunca mais esqueci esse dia até hoje... lembro-me perfeitamente como fiquei em choque a ouvir os guinchos cada vez mais aflitivos até, finalmente, se instalar o silêncio novamente. Se era novinha e nunca mais esqueci isto imagino se tivesse visto a cena toda...
Se quiserem mais motivos para serem vegetarianos vejam este Post em que falo sobre um discurso de Paul McCartney sobre o ambiente... mas também existe a fome mundial... a nossa saúde... tantas boas razões...
Olhem, deixo aqui um site com 101 razões. Está em inglês mas vale a pena ler. (há sempre o tradutor!)

Já Não Sou Quem Era



Já não sou quem era
Meus sonhos não são iguais
Já não sou quem era
A hora é sincera
E eu sinto que me estou a agitar

Já não fico à espera
Já não fico à espera mais
Já não fico à espera
De ver acender
Essa luz que me quer ofuscar

Já vejo com os meus olhos
Já vejo sem me deslumbrar
Já vejo as limitações
Já vejo com os meus olhos
Já vejo sem enganar
Perdi as ilusões
Conheço as limitações

Já não sou quem era
Meus sonhos não são iguais
Já não sou quem era
A hora é sincera
E eu sinto que me estou a agitar

Já não fico à espera
Já não fico à espera mais
Já não fico à espera
De ver acender
Essa luz que me quer ofuscar

Já vejo com os meus olhos
Já vejo sem me deslumbrar
Já vejo as limitações
Já vejo com os meus olhos
Já vejo sem enganar
Perdi as ilusões
Conheço as limitações

Já não sou quem era
Meus sonhos não são iguais
Já não sou quem era
A hora é sincera
E eu sinto que me estou a agitar

Esta continua a minha favorita: vou viver

Ciclovias


Esta imagem é uma pequena parte do mapa disponível neste site: http://ciclovias.pt.vu/
Este mapa permite ver, em pormenor, as ciclovias existentes e em construção por toda a Lisboa e arredores, assim como alguns transportes e os parques para bicicletas. O mapa foi feito através de colaboração dos utilizadores e por isso está sempre em actualização.
Bons Passeios!


P.S.: Sahba, este post foi a pensar em ti depois da  nossa conversa de hoje! ;-) Temos que ir dar uma volta num destes fins-de-semana!

A Crise do Quarto de Século




Acabei de fazer 25 anos na passada sexta dia 26. Fazer 25 anos é uma data engraçada ("o quarto de século"), mas também é atingir uma marca, daquelas que existem várias na vida.


O pessoal já começa a dizer: "É pah, tamos a ficar velhos!" e começamos a comentar coisas que foram "ainda o outro dia" e de repente apercebemos-nos que já passaram 6, 7 ou 8 anos (senão mais!). Aos 18, uma história com 8 anos era uma história de infância, do século passado! Acho que o problema é que 24 é ter vinte e pouco e isso é porreiro mas, de repente, 25 já é ter vinte e tal (a apenas 5 dos 30...). Os anos parecem, agora, correr.


Não quero que me interpretem mal! Estou feliz por ter 25 anos e por tudo o que fiz até hoje (e espero vir a fazer nos próximos anos); a crise vem de fora. Quando se chega aos 25 começa-se a pensar nos sonhos todos que ainda não se realizaram e sobretudo naqueles que já se esperava ter feito.... e, pior de tudo, vêm aí as perguntas (sobretudo em família) sobre o nosso estado carreira/relações.


Comecemos com as relações... então sendo mulher, ao chegar aos 25, é assim: se está casada é "coitadinha que é tão novinha"; se está solteira é melhor ir pensando no assunto porque "coitadinha, o tempo está a contar"; e se está numa relação estável é "então para quando o casório e juntar trapinhos?".


Quanto ao curso ou à carreira a pessoa até se cansa de ouvir: "então já acabaste?", "já estás a trabalhar?". Bem, se o curso ainda não está acabado (meu caso!) já estamos em desespero a querer acabar com aquela porcaria de vez, e fartos de ver como, não só os nossos amigos já acabaram, como temos de aturar putos mais novos que também já acabaram, ou pior, putos como nossos colegas! =P Ás vezes é inevitável pensar, será que somos burros?... mas, no fundo, acho tudo se resume a uma (ou umas) cadeira(s) que anda(m) pendurada(s) há séculos e já se tornou no maior pastel da nossa vida. Quando se começa a trabalhar, das duas uma, ou se aceita que a vida é para ir vivendo e que o dinheiro não é tudo (mesmo com todos os olhos sobre nós) ou se põe a "cabeça a prémio" por um salário que não se vai ter vida para usufruir... Seja qual for a escolha, todos gostaríamos de receber o salário mas ter a vida de estudante antiga.


Resumindo, é uma idade de transição e interrogações, vendo já como pano de fundo os "trintas" daqui a apenas 5 anos. Então aí será o adeus ao jovem (mais ou menos) responsável e o olá ao (pseudo) adulto! Enquanto essa crise não chega, tratem de aproveitar bem esta: a crise do quarto de século!

Festa dos 25 Aninhos!




Medley de Series da TV




0:01 Two and a Half Men
0:22 The Simpsons
0:36 O.C
1:00 Naruto
1:11 Family Guy
1:41 Married with Children
1:57 Cheers
2:16 That 70's Show
2:41 Big Love
2:58 Freaks and Geeks
3:18 Malcolm in the Middle
3:35 X-Files
3:55 Firefly
4:09 The Office
4:24 The Fresh Prince of Bel-Air
4:44 Scrubs
4:54 True Blood
5:27 Charles in Charge
5:38 The Big Bang Theory
5:55 How I Met Your Mother
6:05 Mission Impossible
6:14 Friends

Demasiado bom para não ser "postado" aqui! Thanks S3CO pelo video

Espíritos Leitores

Sons